Enriquecimento Ambiental (EA) Não é Moda!

Você já ouviu falar no assunto do momento entre os adestradores, treinadores e comportamentalistas caninos, a moda do Enriquecimento Ambiental, EA, para os íntimos?
Se sim, acompanha meu ponto de vista que vou explicar tudo sobre o mito! Se não ouviu nada sobre o assunto, fica comigo também: Você, possivelmente, vai me dar razão!

Nesse post você vai saber:

O Que é Enriquecimento Ambiental

Enriquecimento Ambiental nada mais é que proporcionar aos animais cativos a oportunidade de exercer comportamentos naturais da espécie, através de estratégias e recursos pré definidos, de maneira dinâmica, recorrente e alternada.
Hein?
Não entendeu? Deixa eu contextualizar…

Um Pouco de História
cao-selvagem-africano

Cão Selvagem Africano

Um animal de qualquer espécie (cachorro, gato, periquito, papagaio…elefante, girafa, etc…) quando está livre, em seu hábitat, sem nenhuma interferência do homem para prover suas necessidades básicas precisará seguir seus instintos mais primitivos para garantir a própria sobrevivência e a da própria espécie. Esses, por sua vez, são herdados dos seus ancestrais evolutivos.
Assim, ele precisará caçar, explorar e defender seu território, conquistar seu parceiro, procriar…essas coisas que nós, animais humanos sabemos fazer, como nenhum outro.
Sendo assim, concorda que esses animais não humanos não domesticados, selvagens, vão dedicar uma boa parte dos seus dias a realizar essas atividades? E isso vai demandar um gasto energético físico e mental considerável a esses animais cujos recursos não são tão abundantes, quanto os do Garfield!
E como tudo gira em torno do umbigo humano, com o passar da nossa história evolutiva companheiros de planeta foram se juntando a nós. E precederam aos nossos pets domesticados e estimados de hoje como cães e gatos, por exemplo.
No entanto, em toda a história da humanidade nunca tivemos animais de estimação, de companhia exclusivamente, como é o caso da grande maioria dos animais domésticos contemporâneos.
Inclusive, até bem pouco tempo, cães eram “usados” para trabalhos que auxiliavam tarefas humanas (como cães de guarda, por exemplo, quando eram mantidos em quintais para afastar bandidos ou serem envenenados tentando…ops! Isso ainda existe, apesar de toda tecnologia!).
Continuando: as raças dos cães como conhecemos foram manipuladas, selecionadas e direcionadas cada qual com uma utilidade, respectiva.
Nossos avós e bisavós tinham cães que os acompanhavam nas tarefas rurais e que regressavam aos lares, ambos, ao final do dia de trabalho.
Hoje, porém, a realidade da maioria dos cães é bem diferente! Nós os escolhemos muitas vezes por suas características físicas, os trazemos para nossas vidas e apartamentos, nos grandes centros urbanos. Na tentativa de que ao regressarmos aos nossos lares, depois de mais de dez horas fora de casa, tenhamos um filho, não humano, que demanda muito menos cuidado, atenção e investimento financeiro para justificar nossa correria insana!
Não se assuste se você se identificou! Não sinta vergonha de não saber que fazia isso! Continue lendo e veja que nem tudo está perdido!
Sim! Fazemos Isso! E acredito que a maioria de nós, senão todos, tenhamos feito, em algum momento de nossas vidas! Faz parte da nossa evolução errar e aprender uma nova possibilidade! Não se trata de julgamento mas, de expor uma situação corriqueira e comum, na nossa sociedade. Mas, nem por isso, correta!
Pois bem, com o tempo vamos percebendo que que o que parecia mais fácil (leia-se sem nenhuma empatia da nossa parte!) acaba se tornando um inferno total e descontrolado! Com objetos e móveis destruídos, xixi e cocô por todo lado, mordidas e punições que vão escalando num ritmo assustador e, em muitos casos, com o abandono daquele que havíamos escolhido para ser nosso filho!
Com certeza, você já ouviu uma história parecida!
A realidade que não foi informada a você pelo criador de quem você comprou o filhotinho fofo ou daquele tutor que quis “tirar uma cria” do seu animalzinho (ou que por imprudência não o castrou ou prendeu, quando estava no cio – no caso de fêmeas, é claro!) e que se viu cheio de barriguinhas vazias quando a mãezinha desmamou os filhotes e precisou se desfazer deles rapidamente é que, assim como nós, nenhum cachorro é capaz de passar o dia inteiro sozinho, sem fazer nada, dormindo o dia todo, só esperando a nossa volta pra casa.
Nem se ele tivesse a certeza de que teria toda a sua atenção e dedicação nas poucas horas da noite que lhe restam acordados!
“Mas, e aí minha filha? Até agora não entendi o que todo esse seu desabafo contextualizado tem com a tal da ‘moda do Enriquecimento Ambiental!”

Como Surgiu o Enriquecimento Ambiental

Pois bem, o EA surgiu como um conceito usado com animais de zoológico para melhorar o bem-estar e a qualidade de vida desses animais e, mais recentemente, tem sido amplamente adaptado ao contexto dos animais domésticos.
Apesar de recentes, se comparados a todo o tempo em que convivemos juntos, animais humanos e não humanos, os estudo acerca da prática do EA e do impacto positivo desta nessa relação é consenso, no meio acadêmico e, cada vez mais, entre os responsáveis pelos cuidados do lado mais frágil da história!
O Enriquecimento Ambiental pode ser dividido em cinco tipos: social, físico, alimentar, sensorial e cognitivo.

Tipos de Enriquecimento Ambiental
enriquecimento-ambiental-brinquedos

Imagem gentilmente cedida por Núbia Thomazini @erosbt

Enriquecimento Ambiental Social
enriquecimento-ambiental-social

Imagem gentilmente cedida por Núbia Thomazini @erosbt

No caso dos cães, cujos ancestrais foram domesticados ao se aproximaram de nós e evoluiram segundo a maior capacidade de uns indivíduos em detrimento de outros tolerarem nossas características sociais diferentes das deles já é um bom indicativo de que cães gostam da nossa companhia. Assim como, gostam da companhia de outros cães e de animais de outras espécies. Então, o Enriquecimento Ambiental Social diz respeito a proporcionar que essas interações entre cães e outras espécies (incluindo a nossa) ocorram, de maneira harmoniosa, equilibrada e positiva pra todos os envolvidos.
Passear na guia, nos diversos locais, frequentar creches, receber visitas com a família…todos esses são exemplos de oportunidades de enriquecer o ambiente socialmente para seu cão.

Enriquecimento Ambiental Físico

enriquecimento-ambiental-físico

Enriquecimento Ambiental Físico é proporcionar que, no espaço físico onde o cão vive e realiza as interações, seja possível que ele exerça atividades físicas e comportamentais naturais aos cães. Lembra quando falamos que caçar, explorar e defender o território são comportamentos que os cães evoluíram fazendo? Então, proporcionar que eles continuem podendo exercer esses comportamentos garante que eles estejam equilibrados e se você oferecer maneiras deles fazerem isso, sua mobília tem uma chance bem maior de manter-se intacta por longos anos. Os passeios exploratórios são um bom exemplo desse tipo de Enriquecimento Ambiental. Quanto mais inseridos na natureza, melhor! Cavar, correr, subir, descer, ROER, MORDER…ofereça coisas que ele possa roer e morder!
Eu acredito que o EA Físico esteja intimamente ligado ao EA Alimentar e que se completam. Veja a seguir!

Enriquecimento Ambiental Alimentar
enriquecimento-ambiental-alimentar

Zeca – Filho da Fernanda – Aluno Tutor de Pet

 

Sem dúvida o mais famoso e utilizado tipo de EA! Nem de longe o único, como estamos vendo mas, com certeza o mais simples uma vez que, o cão inevitavelmente se alimentará em algum momento. Então, do aproveitamento de materiais que seriam descartados como lixo a várias opções disponíveis no mercado, a #comidanopotenão está nas redes sociais pra provar que a imaginação é o limite! A idéia é que o cão não receba o alimento de maneira fácil, nem desinteressante, porque não seria assim naturalmente. Lembra? Ele precisaria caçar!!! É a porta de entrada dos enriquecimentos ambientais e não tem desculpa de orçamento apertado pra deixar de por em prática! Democrático!

Enriquecimento Ambiental Sensorial
enriquecimento-ambiental-sensorial

Jack – Filho do Thársio – Aluno Tutor de Pet

 

Aqui, a idéia é estimular os sentidos do cão: olfato (o mais aguçado deles), audição (muito melhor que a nossa, cuidado!), tato, paladar e visão. Eles percebem o mundo de uma maneira própria da espécie e diferente da nossa. Por isso, é preciso bom senso nesse tipo de EA. Barulhos altos podem ser bastante traumatizantes. Cheiros imperceptíveis pra nós, podem ser um deleite pra eles! Como o ponto forte dos cães é o olfato, gosto muito da idéia de proporcionar acesso a odores variados, todos os dias!
É um recurso que eles mesmo usam bastante, durante os passeios, quando cheiram o xixi e o cocô dos outros cães. Permita que seu cão fareje, durante o passeio! É a rede social canina!!!

Enriquecimento Ambiental Cognitivo
enriquecimento-ambiental-cognitivo

Chopp – Filho da Sarah – Cliente Tutor de Pet

É o Enriquecimento Ambiental que permite aos cães pensarem e solucionarem problemas. Sim! Eles são capazes de resolver problemas! E o fazem todos os dias, durante a interação com você quando usam sua expressão corporal para evitar um conflito, quando você usa um tom de voz ameaçador, por exemplo. (são Calming Signals – Sinais de calma e não “cara de culpa” – assunto pra outro post)
Quando aprendem a se soltar da guia, ou a sair de algum lugar onde foram contidos…quando transpõem obstáculos… Quando ensinamos truques através de uma metodologia que reforce os acertos, como a que usamos na Tutor de Pet, e eles entendem o que esperamos e passam a se comunicar conosco dessa maneira.
Enfim, uma infinidade de possibilidades de brincadeiras como esconde-esconde, por exemplo, jogos de tabuleiro e, mais uma vez, sua dedicação e criatividade serão os limites!

Quem Pode Fazer EA

Todo mundo!

O Enriquecimento Ambiental é uma estratégia dinâmica e, para tanto, não basta deixar o osso ou o brinquedo solto pela casa. É preciso fazer um esquema de rotatividade com todos os brinquedos e recursos que forem ser usados, ao longo de um período.

Por exemplo, se você ofereceu uma refeição em um kong, a próxima refeição deve ser oferecida de maneira diferente, numa caixa ou comedouro lento, talvez.
Mudar a rota do passeio de vez em quando, passear em uma rua diferente…os estímulos devem variar pra ser considerado EA.
Planejar e se organizar com alguma antecedência é necessário. Mas, uma nova opção pode surgir de repente, no lixo do vizinho! Se permita!

Quem Deve Fazer EA

Todos os tutores de pets!

É uma obrigação garantir bem-estar aos que tutelamos! Mas, nem por isso, precisa ser algo pesado. Coloque bastante amor nessa ação! Faça para ver e sentir a satisfação e a alegria do seu amigo peludo!

Como ele sente o que você fez de EA é parte importante do processo. Se ele se amarrou, anote e repita em algum tempo. Se ele não deu muita bola ou não reagiu de maneira positiva, anote e não faça mais essa opção.

Considerações Importantes

Todo e qualquer objeto (ou estratégia) que for introduzida no ambiente de um animal, deve ser criteriosamente supervisionada, principalmente, nas primeiras vezes. Nenhum objeto é indestrutível e acidentes podem acontecer. Mesmo brinquedos confeccionados pela indústria com rigorosos padrões de engenharia e qualidade podem ser manipulados de maneiras perigosos pelos diferentes tipos de cães.

Então, sempre que for oferecer uma novidade, faça quando você puder supervisionar até o final da interação. Avalie se seu cão engole algum tipo de material, como preenchimento de pelúcia, por exemplo. Se o tamanho dos ossos recreacionais são adequados a cada tamanho do cão.

Conheça as características do seu cão interagir com o que lhe for ofertado. Na dúvida, consulte um profissional para te ajudar.

Faça e me conte!

Ah, ia me esquecendo de falar sobre o título desse post!

Enriquecimento Ambiental não é Moda

Dizemos que moda é algo que ocorre com maior frequência, que tem certa adesão popular ou que é atual.
Assim sendo, não podemos dizer que EA é moda já que se refere ao ato/ação (movimento mesmo!) de resgatar  possibilidades para os cães de algo que os acompanha desde que nem eram cães: explorar e vivenciar dinamicamente suas próprias vidas!

É algo que devemos colocar em prática para beneficiar uma espécie que tiramos da natureza e que, por isso, não pode exercer por vontade própria, sem que seja considerado problema comportamental, comportamentos naturais para si!

Quem Seguimos, Admiramos e Indicamos

Deixe seu e-mail aqui pra receber as novidades da Tutor de Pet!

Tutor, fique tranquilo: somos contra spam!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!