Não humilhe seu cachorro

Compartilhe agora mesmo:

Você já viu aquelas postagens em redes sociais que expõe um cachorro ao ridículo?

nao humilhe seu cachorro

Uma situação em que o seu humano chama sua atenção ou faz perguntas pejorativas e o pobre do cachorro faz uma carinha que esses humanos pensam ser o suprassumo da culpa, da obediência ou da submissão?

Pois bem, eu tenho visto muitas dessas postagens por mais que eu tenha a convicção de não seguir, nem curtir, determinado tipo de perfil ou post que não se preocupem com o bem-estar de seus cães.

O que acontece é que tutores bem informados também submetem seus cães a essa humilhação!

Resolvi então conversar um pouquinho sobre isso.

Longe de querer atribuir a cães qualquer característica antropomórfica (sou contra atribuir características humanas a animais) mas, a ciência já nos trouxe conhecimento suficiente para entender que os animais são seres sencientes (logo, sentem, percebem impressões). Apesar da complexidade dos sentimentos caninos ser infinitamente inferior a da nossa, eles sentem-se e demonstram-se felizes ou desconfortáveis com determinadas situações.

A melhor maneira de entender o sentimento do seu cachorro é observando como ele se comunica, conhecendo sobre a linguagem canina universal (neste post falo sobre sinais de calma) e entendendo sobre comportamentos que são (e os que não são) pertencentes ao repertório comportamental da espécie canina.

Uma vez que você se empodere sobre essa nova perspectiva (a do seu cão) você começa a perceber que ridicularizar seu cão, ou tentar ganhar likes em postagens, expondo uma situação em que, nitidamente o cachorro está desconfortável e te implorando para interromper a interação, da maneira como você está fazendo, é muito cruel!

Imagine a maldade que seria uma mãe de um bebê humano filmar um banho dessa criança onde nitidamente a criança está chorando, e apavorada com a água em seu rostinho…e o pior, essa mãe rindo enquanto filma o desespero de seu filho. Isso seria natural ou engraçado para você?

Para mim, seria extremamente triste (como é sempre que vejo tutores fazendo isso com filhos não humanos – sim! seu cachorro não nasceu de você mas, você o trouxe para sua casa e tem obrigações com ele equivalentes a obrigações de um pai para com um filho humano…se não tem, saiba que deveria)! Digo mais: é aterrorizante! Pensar que uma pessoa em suas perfeitas faculdades mentais não percebe o que está fazendo!

Pois bem, já que não é tão óbvio para todo mundo, vou tentar explicar meu ponto de vista (e entenda que não estou querendo impô-lo a você… é mesmo uma questão de crenças e valores! Se você não concordar, sinta-se à vontade para não me acompanhar, a partir daqui!).

Nossa obrigação com nossos cães, assim como com nossos filhos humanos, é a de proporcionar segurança, conforto, amor e que eles se potencializem enquanto indivíduos que são! Somos responsáveis por suprir as necessidades básicas deles e, à medida que estas são supridas e eles se desenvolvem enquanto seres vivos e pensantes, novas necessidades vão surgindo (existe uma hierarquia para as necessidades Maslow criou uma pirâmide para orientar os níveis dessas necessidades e esta pirâmide já tem uma versão canina, como podem ver neste link – aqui você encontra a versão para download em português).

Temos duas questões que impedem a sociedade brasileira contemporânea de ter uma boa relação com seu cachorro, são elas (não em ordem de importância): a falta de disseminação de conhecimento de qualidade, principalmente por parte de veterinários que são, em primeira instância, as referências para tutores, quando buscam informação sobre como lidar com seus pets; e a segunda questão é sobre a natureza humana de dominar!

Somos tão fascinados com dominação que chegamos a acreditar que se não dominarmos nossos cães, eles nos dominarão! Meu Deus!!!

Bem isso nos já esclarecemos que não é procedente do ponto de vista científico, neste post recente (e vamos continuar propagando, essa mensagem em nossos canais)!

Mas, ainda estamos inseridos numa cultura onde precisamos subjugar o outro pra nos sentirmos suficientemente no controle da situação.

Eis uma certeza que pode te deixar não muito feliz: Nós não estamos no controle da situação! Nunca!

Nós podemos ter controle, única e exclusivamente, sobre nossas ações e reações, perante as situações!

A maneira como escolhemos tratar nossos cães, amigos, familiares…a nós mesmos… é a única coisa sobre a qual temos controle, em toda nossa vida!

Numa situação em que podemos obter um dado resultado de uma maneira amorosa, carinhosa, afetuosa e respeitosa porquê escolhemos alcançar esse objetivo impondo, oprimindo e desrespeitando?

Porque podemos! Mas, não é porque podemos que necessariamente devemos! Temos a escolha! Sempre!

Somente quem já esteve do outro lado… sendo oprimido e humilhado é que consegue entender a dimensão da marca que sentir-se assim deixa no seu ser!

Podemos ser melhores! Eu acredito!

Então, por favor, se você me leu até aqui, e já expôs um comportamento do seu cão de modo a não ampará-lo quanto ao desconforto que ele estava sentindo… ou se você já curtiu, achou graça de uma situação assim, entenda que tem outra maneira e que a sociedade está mudando. Cada vez mais, será inaceitável a subjugação do mais fraco!

Como fazer a nossa parte para essa transformação acontecer mais rapidamente?

Entendendo sobre como nossos cães se comportam.

Não curtindo, não dando likes, nem clicando no coraçãozinho, quando alguém faz uma postagem assim. Quando curtimos, isso reforça o comportamento do tutor em questão a continuar fazendo conteúdo daquele jeito, simplesmente, porque ele percebe que as pessoas gostam.

Então, se não houver tantas curtidas e, ao mesmo tempo, as coisas que forem bacanas do ponto de vista de estar proporcionando bem-estar pro pet nós curtirmos, a pessoa, naturalmente, tende a fazer mais posts parecidos com aqueles.

Entendeu? Uma ação simples para cada um de nós pode contribuir para uma transformação de toda a comunidade de tutores de cães (e toda a vida em sociedade – sim, sou ambiciosa! rs!), usando apenas o Reforço positivo como ferramenta.

Se você concorda, compartilha!

Compartilhe agora mesmo:

Deixe seu e-mail aqui pra receber as novidades da Tutor de Pet!

Tutor, fique tranquilo: somos contra spam!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!