O Que é Um Profissional Pet Sitter e O Que Ele faz?

Pet Sitter é o profissional que realiza a atividade de Pet Sitting. Pet Sitting é o ato de cuidar de um animal de estimação, em sua própria casa, enquanto seu tutor está ausente.

Você sabe o que é um Pet Sitter e o que este profissional faz? Se não, fica comigo que vou esclarecer alguns pontos. Se sim, fica também! (Risos!) Quem sabe não te surpreenda com alguma novidade?

Neste post vamos conversar sobre:

Recentemente, escrevi esse post, aqui, onde contei sobre a obtenção do meu título de Pet Sitter Profissional, certificada pela maior associação mundial dedicada a “educar Pet Sitters profissionais e promover, apoiar e reconhecer a excelência em Pet Sitting”, desde 1994,  a Pet Sitters International.

É um tipo de serviço bastante difundido em países desenvolvidos e relativamente novo no Brasil. Mas, ainda com uma certa resistência por parte dos tutores brasileiros que não entendem a importância de preferir a contratação de um profissional capacitado a um amigo ou parente, ou até mesmo empregados domésticos da própria residência, sem capacitação específica, que se dispõem  a “tratar” do animal.

Cada espécie tem sua particularidade no que se refere a necessidades básicas mas, é unânime que estas vão muito além de água e comida.

No que diz respeito a cães – que são minha especialidade e preferência nacional, afeto, estímulo físico e mental e socialização estão, ainda no Brasil, muito aquém do ideal. Os animais são seres sencientes o que quer dizer que, assim como nós e nossos filhos humanos, são capazes de sentir…alegrias e tristezas!

Foi-se o tempo em que cão ficava preso na corrente, no fundo do quintal. Eles vieram pra dentro das nossas casas, das nossas famílias…são filhos peludos, com quatro patas! E é aqui que devem ficar. Mas, precisamos ter a responsabilidade de dar a eles condições de se desenvolverem plenamente. Pro bem deles e nosso próprio!

Acredito que, com o tempo, quanto mais for difundido sobre o tema, mais tutores serão conscientizados sobre a responsabilidade que têm sobre o animal tutelado. É responsabilidade dos profissionais que atuam nesse mercado, se engajarem e transmitirem as informações atualizadas sobre maneiras de melhorar a qualidade de vida dos animais, em geral.

Mas, afinal, o que é um profissional Pet Sitter e o que ele faz?

Pet Sitter  é o profissional que realiza a atividade de Pet Sitting.

Pet Sitting é o ato de cuidar de um animal de estimação, em sua própria casa, enquanto seu tutor está ausente. Essa definição é importante para delimitar as tarefas que serão executadas por um babá de animais de estimação das tarefas dos demais profissionais que trabalham com prestação de serviços para pets. A atividade de Pet Sitting é uma atividade de manutenção, diferentemente de treinadores, por exemplo, que transferem seu capital intelectual, transmitindo o seu conhecimento, e dos serviços de day care, onde os cães ficam períodos do dia, na creche.

Assim, não é atividade de um Pet Sitter treinar ou educar um cão, por exemplo. Porém, ele deve ser capaz de orientar aos tutores quanto a problemas de comportamento que já existem ou que podem vir a existir, em decorrência de algum manejo inadequado. Bem como, ter noção mínima de comportamento das espécies que atenderá.

O Pet Sitter vai cuidar do seu pet, na sua casa, enquanto você não puder fazê-lo. Ele vai:
  • Alimentar;
  • Realizar higienização das tigelas de água e garantir que estejam sempre com água limpa e fresca;
  • Limpar caixas de areia e  fazer a higienização sanitária (dar as devidas destinações aos cocos);
  • Escovar pelos, tocar o animal para confirmar que não há nenhuma lesão ou parasita;
  • Se for necessário, aparar unhas e limpar orelhas;
  • Proporcionar atividades que estimulem o pet mental e fisicamente com brincadeiras e jogos ou, ainda, pode ser realizado um pequeno passeio ou, pode ser contratado adicionalmente, o serviço de Dog Walking   – onde o tempo do passeio é maior;
  • Dar carinho e atenção;
  • Administrar medicamentos, caso o pet faça uso contínuo ou esteja em algum tratamento. Bem como trocar curativos, se necessário;
  • Enviar relatórios e fotos do atendimento;
  • Além de poder recolher correspondências, molhar alguma plantinha ou mesmo deixar luzes alternadas acesas, mexer nas cortinas…enfim, te ajudar a dar a impressão de que a casa não está sem moradores.

Pra quem é indicado e quais as vantagens de se contratar um profissional?

O Pet Sitting é indicado para qualquer tutor que precise se ausentar a passeio, trabalho ou mesmo para aqueles que trabalhem por períodos muito longos cujos pets acabam ficando mais tempo do que poderiam suportar sozinhos.

Cães, por exemplo, são seres extremamente sociáveis e que não toleram com equilíbrio e naturalidade períodos muito superiores a seis horas de isolamento. As chances de que desenvolvam ansiedade e estresse em algum grau é bastante relevante. Para os que já desenvolveram ansiedade de separação, também é uma opção bastante interessante (neste caso específico, o Pet Sitter pode te auxiliar no manejo para minimizar o sofrimento do cão mas, é  recomendável que haja, em paralelo, disponibilidade do tutor em realizar uma consultoria comportamental e educação canina, com profissional capacitado para tratar essa dependência).

Inúmeras podem ser as vantagens com a prestação do serviço de Pet Sitting

Dentre elas, destacam-se o menor estresse a que os animais são submetidos, quando retirados do seu ambiente doméstico; rotinas alimentares, de exercício, medicamentosas e sanitárias são mantidas sem alterações; a exposição dos animais a doenças é minimizada, consideravelmente, dentre outros.

Todas essas vantagens são válidas para cães, pequenos roedores, furões, coelhos, aves…enfim, dos mais comuns aos mais exóticos pets (e cada vez mais, maior o  número de espécies são passíveis de domesticação mas, é assunto pra outro momento).

Porém, se seu pet for um gato, o Pet Sitting é pra você mais que para qualquer outro tutor!

Gatos são muito desconfiados e se estressam muito mais facilmente com pessoas e ambientes estranhos. Além do fato de que se escondem e fogem com muito mais facilidade que cães, por exemplo. Então, pensando que você opte por deixar seu gato hospedado em algum hotelzinho, além dos fatores emocionais que você terá que avaliar, uma boa conferida na segurança das instalações para minimizar risco de fuga é imprescindível. E claro, se você me lê, até aqui, não precisaria falar mas, nunca é demais lembrar que hospedar animais de estimação em gaiolas, sem que sejam pássaros, roedores ou répteis não é nem cogitado, né?

Uma outra observação importante, acerca da importância de manter a rotina dos gatos o mais inalterada possível, principalmente, que já haverá o fator “sua ausência” no contexto, é o fato de que gatos tendem a não se alimentar, em decorrência de mudanças de pessoas, ambientes, rotinas…e, pra piorar, gatos  com anorexia  ( que é a não ingestão de alimentos por períodos longos, mais de 48h, por exemplo), ou muito gordinhos (e aí você decide fazer dieta, por sua conta, para ele emagrecer reduzindo o aporte nutricional dele a um limite  inferior ao necessário ou ao de costume ofertado) podem desenvolver um quadro de Lipidose Hepática Felina (para saber mais sobre a doença, clique aqui). É uma doença grave que pode levar o gato a óbito rapidamente, se não tratada de imediato.

Então, consenso que Pet Sitting é a melhor opção para gatos, ok?

Mas, como garantir que eu contrate um profissional capacitado, em quem eu confie?

Um ponto crucial, no meu ponto de vista, sobre a prestação do serviço de Pet Sitting, é a propagação do conhecimento. Quer seja para conscientizar e atualizar tutores, profissionais ou não, sobre as melhores práticas, com embasamento científico. Quer seja para formar profissionais capacitados.

Uma boa avaliação a se fazer é sobre a formação teórica e prática do candidato a babá do seu filho peludo. Existem poucos cursos no país, e menos ainda de qualidade. Eu, por exemplo, busquei formação no exterior pois os poucos cursos que consegui fazer aqui, foram extremamente superficiais, além de serem, ao meu ver, apenas maneiras de se vender o próprio negócio. Cobram caro pra explanar sobre o tema e nem um modelo de contrato fornecem, pois alegam ser exclusividade dos franqueados.

Um ponto fundamental, alias, para respaldar você, seu pet e o profissional (bem como deixar claro todos os serviços que serão prestados) é a formalização da prestação do serviço, através de um contato. Fica a dica!

Há também,  aplicativos e sites pelos quais você pode contratar serviços para animais de estimação. Também não recomendo, exceto um que para ser membro, além do percentual pago por serviço prestado, a pessoa passa por um treinamento, até onde consegui avaliar o conteúdo programático, bem mais abrangente que os cursos ofertados no mercado. Porém ao meu ver, um serviço de manutenção deve ter um valor financeiro relativamente barato (se comparado com um treinador, terapeuta ou educador canino, por exemplo). Concorda que se o profissional precisa abrir mão de, em média, 20% (vinte por cento) do valor da sua hora, esse valor tende a ser maior do que o que vai te cobrar seu vizinho ou seu empregado doméstico? Até aqui, concordamos, certo? É aí que você acaba preferindo o seu conhecido, sem capacitação, que cobra bem mais baratinho que os profissionais dos aplicativos. Isso, levando em consideração que você, como tutor de pet responsável que é, não vai nem cogitar os aplicativos onde a empresa não fornece nenhum treinamento pros prestadores de serviço e estes, por sua vez, fazem bicos como cuidadores, nas horas vagas, né?!

Então, no caso de você optar pelo aplicativo (não vou citar nome apesar de admirar o trabalho da veterinária responsável mas, é aquele da primeira brasileira certificada pela Pet Sitters Internacional  – não mais única já que eu também tenho a dita certificação, risos!), assim como na contratação de uma Pet Sitter da Tutor de Pet, ou de qualquer outro profissional, você deve marcar uma visita inicial para conhecer o profissional, o profissional conhecer você e seu pet e, inclusive, avaliar a interação dos dois, juntos: além da capacitação, é fundamental que você simpatize com quem vai cuidar do filho de quatro patas, né?!

Se não gostar do profissional, não contrate! Segurança e confiança devem nortear esse relacionamento!

Quanto a capacitação, um dos pontos fundamentais é saber se o profissional é capacitado para realizar procedimentos de primeiros socorros, no caso de uma emergência. E, se o Pet Sitter tem convênio com algum médico veterinário que atenderá essa emergência, em período integral.

Observe ainda se o profissional tem noções básicas sobre o comportamento da espécie da qual ele pretende cuidar.

E pergunte, não deixe de perguntar qualquer coisa que considere pertinente.Não fique com vergonha, neste momento! O prestador de um serviço que garante a segurança e conforto seu e do seu filho de quatro patas não pode ser uma pessoa sem capacitação, sem  condições e técnicas de manejo e primeiros socorros, não pode ser alguém que faz um “bico” nas horas vagas, concorda?

Eu mesma, depois de ter cães, hospedei um única vez, em um hotelzinho  de uma clínica veterinária excelente(na ocasião nem sabia da existência de Pet Sitting).   Minhas cadelas voltaram todas com a gripe canina. E tenho certeza que não foi nenhum manejo descuidado. Certamente, a imunidade delas baixou por sofrerem a mudança nas rotinas e ambientes e como estavam expostas a um ambiente onde o vírus estava presente, se contaminaram. Tentei algumas experiências com pessoas sem capacitação e que não entendiam as minhas exigências (acho mesmo que as julgavam absurdas!) e, inevitavelmente, coisas ruins aconteceram. E, a partir daí, não confiei os cuidados delas a ninguém. E comecei minha busca por conhecimento e formação numa área que acho extremamente carente, ainda. Se não tenho quem fique com meus cães e gatos, na minha casa, não saio. Eles são minha responsabilidade!

Hoje, já treinei e capacitei minha mãe e minha irmã que dividem comigo a função de Pet Sitters, ainda que não exclusivamente como eu. E aí, cheguei num ponto crucial desta minha narrativa: nós, brasileiros, somos extremamente desconfiados e não entregamos as chaves das nossas casas, a um estranho. Então, ao meu ver, a solução está em capacitar pessoas que atendam um limite geográfico próximo a sua própria residência e que atendam clientes que já os conheça e que confiem em sua idoneidade. Você pode não conhecer intimamente mas, obter referências locais, pessoais e comerciais. Além de ser interessante que o próprio profissional as forneça, além de Atestado de Antecedentes Criminais atualizado.  E essa foi a última dica deste post sobre o que avaliar, quando for escolher o Pet Sitter.

E então, gostou de conhecer um pouco mais sobre o profissional Pet Sitter?  Deixa seus comentários, dúvidas ou sugestões e experiências,  aqui em baixo.

A Tutor de Pet oferece o serviço de Pet Sitting com profissionais, altamente qualificados. Saiba mais aqui.

Se quiser saber mais sobre curso de capacitação em Pet Sitting, escreve pra gente, aqui.

Gratidão por ter me acompanhado até aqui!

Deixe seu e-mail aqui pra receber as novidades da Tutor de Pet!

Tutor, fique tranquilo: somos contra spam!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*