Como superei meu medo de estar no meio de um grupo de cães

Compartilhe agora mesmo:

No mês passado, fui convidada pelo Caio Mansur e sua sócia e esposa Cláudia Simões para participar de uma vivência de um dia em uma das suas unidades de Day Care para cães, em BH. Eles são a única empresa desse ramo, no Brasil, com três unidades próprias. E o sucesso não vem por acaso! Ele é conquistado!

Já vou logo falando que isso não é um publipost e que tudo o que vou dizer sobre essa experiência é o que eu realmente vivenciei e só o que a Educãodo me deu pra poder falar sobre eles aqui foi essa oportunidade MA-RA-VI-LHO-SA!

O motivo do meu trauma:

Quem já me segue há algum tempo, já deve ter me ouvido falar que comecei meu trabalho com cães como criadora de buldogues ingleses. Eu comecei essa criação por causa da Dóris, a mãe do Aramis. E a morte dela foi a martelada final para enterrar de vez minha trajetória como criadora. Quem quiser saber mais, eu já fiz uma homenagem pra ela, nesse post aqui

Ela morreu em virtude de uma briga entre cães. E, desde então, eu intensifiquei minha busca por entender sobre o comportamento canino, na tentativa de diminuir as chances de que mais famílias sintam o que eu senti com a perda dela!

Desde o acontecido, eu passei a ter verdadeiro trauma de cães em grupos. Confesso que até então, essa era a maior dificuldade a ser superada na minha carreira.

O foco do meu trabalho é a promoção de bem-estar pros cães e pra que isso aconteça eu preciso entender as coisas sob a perspectiva deles… do que é importante pra eles. Dessa forma, estudar sobre a linguagem canina e todo seu repertório comunicacional é fundamental a qualquer pessoa que pretenda estabelecer uma comunicação assertiva e empática com os cães. E isso era complicado pra mim, na vida real, por todo meu medo das brigas.

Como se deu, efetivamente, a vivência na Educãodo:

Logo que chegamos na Educãodo tivemos uma explicação teórica de como era feito o manejo, naquela unidade em que estávamos. Tudo foi apresentado de maneira bem didática de forma que, mesmo uma pessoa que não trabalha com cães poderia entender. Inclusive, no grupo, haviam dois clientes da Educãodo. Achei fantástico essa possibilidade de trazer os tutores para entenderem o motivo e a proposta deles.

Eu sentia um misto de ansiedade e confiança por tudo o que estaria prestes a vivenciar. Uma expectativa muito grande! Mas, já podia sentir, diante da confiança das explicações, que com certeza não pioraria meu trauma!

Caio Mansur e Cláudia Simões sócios na Educãodo e euzinha, no meio.

O Caio e a Cláudia são sempre muito profissionais e colocam o bem-estar dos cães sob seus cuidados em primeiro lugar! Já tive a oportunidade de fazer curso em outra unidade deles e isso, já nessa ocasião, havia ficado absurdamente claro!

De uma maneira muito estruturada e segura fomos adentrando o primeiro, o segundo e o terceiro pátio da unidade, enquanto os cães aguardavam num quarto com os monitores. Num ambiente em que já existe uma dinâmica entre um grupo, qualquer alteração pode ser um motivo para estresse. E num grupo de cães, isso pode significar brigas.

Assim, fomos orientados a permanecer aleatoriamente distribuídos pelo pátio enquanto os cães foram trazidos, de maneira estratégica e gradual ao nosso encontro. Nesse primeiro momento, não podíamos fazer interação direta com eles. Pra que eles pudessem nos conhecer e se habituar conosco, sem que ficassem excitados com isso. Não posso perder a oportunidade de ressaltar que é sempre ideal interagir com os cães priorizando a calma e não recompensando a efusividade – você, tutor, na sua casa, ou profissional com os cães dos seus clientes, devem priorizar pelas interações com base na calma! Fica a dica!

Ao longo do dia, fomos intercalando entre atividades com os cães e troca de experiências.

A alegria da auto-superação!

Foi tudo tão maravilhoso! Em um dado momento, enquanto observava um grupo fazendo uma atividade, eu me peguei sorrindo e pensando no quão feliz estava e quão grata por estar ali! Uma oportunidade fantástica profissionalmente mas, pessoalmente, eu estava tendo a oportunidade de estar com um grupo de cães, novamente, sem nenhum ponto de tensão (nem em mim, nem entre eles)!

Mais uma vez pensei o quão grata aos cães eu sou porque jamais tive oportunidade de me desenvolver e me superar tantas vezes, em toda minha vida, como tenho tido, desde que comecei a trabalhar com eles! Posso dizer sem medo de exagerar que, diariamente!

É muito ruim ter medo de algo! Mas, é maravilhoso poder superar os medos! Ter coragem de assumí-los e buscar meios de superá-los!

E o que fez com que fosse possível eu me libertar de uma experiência traumatizante e desse um passo adiante no quesito cães em grupo foi, com toda certeza, a gestão e manejo daquele ambiente. Isso quer dizer que toda a equipe que atua na Educãodo é preparada para entender como os cães se comunicam e como cada um assume seu papel, dentro desse grupo multi-espécies!

Todas as atividades são planejadas com o objetivo de permitir que os cães explorem o ambiente e exerçam comportamentos naturais de cachorro, como farejar, cavar, roer, forragear, dentre outros.

O objetivo principal de um day care de qualidade!

E, ao contrário do que se pensa, não são feitas atividades com o objetivo de cansar os cães. Aliás, se você acredita que seu cachorro (ou o cachorro de um cliente) precisa estar cansado… fisicamente cansado para resolver suas questões comportamentais, você precisa rever essa opinião, com bastante urgência!

As atividades são estruturadas, com um objetivo pre-definido e, definitivamente, esse objetivo não é a exaustão dos cães. Inclusive, momentos de promoção e valorização de calma e relaxamento fazem parte do cronograma diário de atividades e foi bastante perceptível como os cães começam a ficar inquietos quando uma atividade já foi suficiente. Quando já deu, sabe?

Saber gerir esse ambiente, percebendo o momento de mudar o foco é uma arte e, com certeza, o supra-sumo do manejo de cães!

Respeito às individualidades!

Sempre defendo que ao se optar por um ou outro serviço para cães – pet sitting, dog walking, day care, dentre outros – o objetivo principal deve sempre ser o que faz mais sentido para aquele indivíduo, naquele momento de vida dele e daquela família,em particular. Depois dessa experiência, sou muito mais favorável a recomendação de creches, em alguns dias da semana, para os que cães que podem frequentar uma.

Assim como em tudo que diz respeito à individualidade de cada cão é fundamental que sejam feitas avaliações para definir se aquele indivíduo tem perfil para frequentar uma creche bem como uma adaptação respeitando o tempo de resposta individual de cada cão. Então, não existe receita de bolo. Por isso, ter certeza da metodologia que um estabelecimento adota é fundamental se você acha que essa pode ser uma opção para o seu cãozinho, ou pro cãozinho de um cliente.

Turma linda que vivenciou comigo o manejo de cães em grupo, na Educãodo.

A única creche que eu conheci até hoje foi a Educãodo e, portanto, não tenho condições de indicar outra. Eles realmente elevaram os critérios a um patamá bem alto! Mas, mais uma vez, me ponho à disposição para conhecer e divulgar outros estabelecimentos que atuem com foco em promoção e manutenção de bem-estar de cães, com base na metodologia de reforço positivo. Será um prazer difundir a expansão desse mercado!

Por fim, se não fosse trabalho, poderia quase ser pura diversão! Quem aí tem oportunidade de viajar 70km à trabalho, 70 km ida e 70km volta, num sábado e nem, sequer, sentir cansaço e, ao contrário, sentir que não queria estar em outro lugar? É um baita privilégio! Não é não?

Então, minha gratidão é infinita aos grandes empreendedores, Cláudia e Caio, desse mercado pet que, tenho orgulho de dizer, estamos construindo juntos!

Compartilhe agora mesmo:

Deixe seu e-mail e/ou telefone aqui pra receber as novidades da Tutor de Pet!

Tutor, fique tranquilo: somos contra spam!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!